10.8.13

Resenha - "Garota, Interrompida" de Susanna Kaysen

   Não saber o que quer ser não é uma opção.                                                                                                                                                  
Girl, Interrupted                                                        
Autor: Susanna Kaysen   
Páginas: 190 
Editora: Única 
Gênero: Biografia 
Classificação: ★  

Sinopse: "Quando a realidade torna-se brutal demais para uma garota de 18 anos, ela é hospitalizada. O ano é 1967 e a realidade é brutal para muitas pessoas. Mesmo assim poucas são consideradas loucas e trancadas por se recusarem a seguir padrões e encarar a realidade. Susanna Kaysen era uma delas. Sua lucidez e percepção do mundo à sua volta era algo que seus pais, amigos e professores não entendiam. E sua vida transformou-se ao colocar os pés pela primeira vez no hospital psiquiátrico McLean, onde, nos dois anos seguintes, Susanna precisou encontrar um novo foco, uma nova interpretação de mundo, um contato com ela mesma. Corpo e mente, em processo de busca, trancada com outras garotas de sua idade. Garotas marcadas pela sociedade, excluídas, consideradas insanas, doentes e descartadas logo no início da vida adulta. Polly, Georgina, Daisy e Lisa. Estão todas ali. O que é sanidade? Garotas interrompidas." 

___________

Por já ter assistido o filme, estrelado por Angelina Jolie e Winona Ryder, eu já sabia mais ou menos o que esperar do livro. Me apaixonei pelo longa logo nos primeiros minutos, e com o livro não podia ser diferente: me vi conectada a ele muito antes da metade do quarto capitulo. Ao contrário do que eu imaginava, a narrativa passa longe de chata e maçante. Nunca fui muito fã de biografias, mas Kaysen me surpreendeu do começo ao fim com suas palavras e frases fortes, que tocam o leitor, não importa qual seja seu estado emocional. 


"Entretanto, ao enfiá-lo na boca e sentir seu gosto frio e oleoso, dedo pousado no gatilho, descobrimos que há um mundo inteiro entre esse momento e o momento tão planejado: o momento de puxar o gatilho. E é esse mundo que nos derrota."   
   
Susanna nos mostra durante a história seu jeito perturbado de olhar o mundo. Diagnosticada com 'personalidade limítrofe', ela é forçada a se curar de um distúrbio mental com remédios e convivendo com outras garotas muito mais insanas do que ela. No filme, minha preferida era a Lisa - interpretada por Angelina Jolie -, mas ao ler o livro acabei me apaixonando por Daisy, que de longe era a mais perturbada de todas elas, na minha opinião. Apesar do diagnóstico, achei que Susanna se mostrou pouco alheia a sanidade e em vários momentos durante a leitura me questionei se realmente havia um motivo para ela estar internada. Acabei a enxergando como narrador-observador, e não narrador-personagem como realmente era.

Com exceção disso, não tenho o que reclamar de Garota, Interrompida, muito pelo contrário! Desde o momento em que peguei o livro até o final, não consegui me libertar da leitura enquanto não cheguei na ultima frase. Apesar de ser um pouco pesado, o livro é simples, tira o sono e é muito fácil de ler. Recomendo a leitura para qualquer garota que se sinta, ou não, interrompida.

"Depois que a gente começava a tomá-los, era difícil largar - tal como acontece com a heroína, mas quem nos viciava era a equipe médica." 


  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© BL Design - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianca Layouts ♥ EXCLUSIVO! ♥.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo