9.5.15

Um novo começo! (Já estava na hora)

Olá queridos amigos e leitores,
   
   Hoje venho com uma novidade. O Lonely Fireflies vai mudar totalmente. Nova cara, novo layout, novos assuntos e novo nome (esse último ainda não está decidido hahaha). Essa mudança está planejada para o quanto antes - ainda no mês de maio! Preciso correr atrás do tempo perdido, recuperar meus leitores e ganhar alguns outros. 
    Mas, para que vocês possam entender um pouco melhor o que eu estou querendo dizer, me sinto na obrigação de contar uma história um tanto íntima (tudo bem, afinal, vocês já estão acostumados com as minhas bobas intimidades).  



     Os que não me conhecem realmente (família, personalidade, vontades) provavelmente não sabem que cresci no meio da moda. Sim, gente, da moda! Nasci e cresci correndo entre vestidos de noiva e de festa (literalmente), enfiando as mãozinhas nos infinitos vidros, grandes e pequenos, de pedrarias coloridas de bordado. Eu dançava entre os tecidos e as rendas, brincava de desenhar vestidos mirabolantes e sapateava nos provadores com gigantescos sapatos de salto, beeem maiores que meus pézinhos de criança. No entanto, assim que alguma tia ou amiga dos meus pais fazia a famosa pergunta: "quando crescer você vai cuidar das lojas?" (que ouvi inúúúmeras vezes durante meus singelos 18 anos, e eu acredito que ela tenha até me traumatizado um pouquinho), a resposta vinha antes mesmo que eu pudesse evitar: "NÃO!", para a tristeza de papai.
       Eu queria ser escritora, também para a tristeza de papai. (Ora! Antes fosse advogada!)
      Sempre quis brincar com as palavras e ganhar por isso, mas nunca percebi que o buraco era mais embaixo. Para os escritores iniciantes como eu, é muito difícil escolher uma faculdade. Não existe a graduação em escrita, ou em técnica de escrever de forma vendável. (É importante escrever algo que as pessoas queiram comprar, não podemos nos esquecer disso). Então, sem ter muitas opções, escolhi jornalismo. 
       E meu plano de carreira era bom! Ilusório e infantil, mas para a Vitoria de 6 meses atrás, ele era infalível. Eu iria crescer, ir embora, ser alguém, e o melhor: escrever. Porém, um bimestre bastou para que eu percebesse que não era bem assim - droga! Descobri cedo (graças a Deus) que para escrever do jeito que eu gosto e quero, eu não preciso ser bacharel em comunicação social com especialização em jornalismo. (Ufa! Puta nome grande! Eu demoraria uma semana para me apresentar para as pessoas). 
       Para escrever do jeito que eu gosto e quero, eu só preciso ser eu,
      Enquanto tudo isso se desenrolava em minha cabecinha confusa, meus pais foram muito astutos. Deram-me a condição logo antes de fazer a matrícula na faculdade: "Quer fazer jornalismo? Tudo bem, eu pago a faculdade e apoio! Mas vai ter que trabalhar na loja". 
       Dito e feito. 
      Dia 25 de fevereiro eu entrei na loja, às 8h45 (atrasada, lógico...), e comecei a aprender algumas lições. E foi uma atrás da outra. Saiote atrás de saiote, renda depois de renda, cor atrás de cor, cliente por cliente. Eu não parava! Estava cheia de vontades, curiosidades e preocupações. E comecei a ser feliz, sem perceber, ali, num lugar estranho e ao mesmo tempo familiar. Comecei a querer ficar, investir, criar dentro daquilo tudo que eu estava vendo. Até desenhar eu comecei! E meus croquis ficavam cada vez melhores. 
      Eu estava vendo a loja com os olhos do meu pai. Não com toda a sua genialidade (sou coruja e puxa-saco mesmo), mas com os olhos de quando ele começou, 30 anos atrás, quando tinha a minha idade. 
    Eu vi uma noiva chorar e tremer de emoção ao encontrar um vestido igual ao que ela tinha sonhado. Vi outra chorar porque achava que não se casaria mais... Já não amava mais o noivo. Vi noiva de 60 anos, e outra de 15. Vi noiva feliz, noiva radiante, noiva calma e nervosa. E eu vi tão pouco... Apenas 3 meses de trabalho. E agora não consigo deixar de sonhar com o quanto eu posso aprender e ver nos próximos 30, 40 anos. 
       Só Deus e meus pais sabem quantas vezes jurei que não queria saber de fazer vestido de noiva. E só Deus sabe o tamanho da minha vontade de escrever sempre. Mas, a sorte sorriu pra mim. Eu, que sempre sofri com perdas de inspiração inexplicáveis, descobri na prática que trabalhar numa loja de noivas seria um prato cheio para minhas inspirações. Agora eu vejo amor todos os dias.

       E, diante disso, notifico vocês que, a partir de hoje, o Lonely Fireflies falará de moda, sonhos, comportamento, relacionamentos, faculdade e qualquer coisa que vocês quiserem! Logo menos tudo estará diferente por aqui.
        "Mas Vitoria, os textos de sempre vão acabar?" Nãooooooo!! Vica não existe sem escrever, tudo continuará normalmente, fiquem tranquilos.
        Aceito sugestões de nomes para o blog, ok? Algo que envolva costura e escrita! (qualquer coisa falem comigo nos comentários, na página do facebook ou no meu e-mail vitoriadozzo@hotmail.com
        Obrigada por seguirem comigo, por lerem as baboseiras que eu escrevo e por estarem aqui! Muita sorte para nós neste novo começo.
         Beijos, beijos!


- Super Purgare Porque Hoje O Post É Muito Feliz



      

Um comentário:

  1. Adorei o layout do seu blog, Vica!
    Passarei a acompanhar o blog!
    Bjs

    www.thebrubs.com

    ResponderExcluir

© BL Design - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Bianca Layouts ♥ EXCLUSIVO! ♥.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo